Portal Amazônia » Notícias » Matéria

ciencia-e-tecnologia

04/05/2013 às 10:46 Juçara Menezes - jornalismo@portalamazonia.com

Operadoras de Manaus se preparam para oferecer 4G a partir de julho

Prazo estabelecido pela Agência Nacional de Telecomunicações é dezembro deste ano. Serviço 4G promete acelerar conexão de internet.

Tecnologia 4G. Foto: Diego Oliveira/Portal Amazônia

Tecnologia 4G vai garantir internet móvel com mais velocidade. Foto: Diego Oliveira/Portal Amazônia

MANAUS – Baixar um vídeo que demoraria mais de nove horas em até 30 minutos. Fazer download de músicas e fotos em até cinco segundos. Estas são algumas das vantagens da tecnologia 4G. O novo sistema de transmissão de voz e dados  será implantado em 50% da área urbana até dezembro deste ano em Manaus, conforme prazo da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

Nas seis cidades-sede da Copa das Confederações, o prazo terminou na última terça-feira (30). A data para Manaus – subsede da Copa do Mundo de Futebol em 2014 – receber a nova tecnologia é dezembro deste ano. Os dados foram confirmados pela Anatel.

Entretanto, a capital do Amazonas pode receber a tecnologia mais cedo que o planejado. “Em Manaus, há operadoras preparando-se para instalar antenas que suportam a nova tecnologia até o início do segundo semestre”, adiantou o coordenador da Unidade Gestora da Copa (UGP Copa) no Amazonas, Miguel Capobiango. No caso específico da Arena da Amazônia, local onde acontecerão as partidas de futebol em Manaus, as operadoras Oi, Tim, Claro e Vivo colocarão antenas após a montagem da estrutura metálica do estádio, prevista para outubro.

Saiba mais:
No Amazonas, somente duas operadoras têm planos para 4G
Manaus precisa instalar 271 antenas de telefonia 4G

A nova plataforma promete velocidades de internet banda larga móvel (por meio do celular) até dez vezes mais rápidas do que o sistema utilizado atualmente no Brasil, o 3G. Para acessar a internet rápida com o 4G é preciso comprar aparelhos específicos para essa tecnologia.

Opções de mercado

Celular Motorola Rarz HD (à esquer.) e Galaxy S 4. Foto: Divulgação

Celular Motorola Rarz HD (à esquerda) e Galaxy S 4. Foto: Divulgação

No mercado, a fabricante Samsung tem três celulares compatíveis com a nova tecnologia. O Galaxy S 3, o S 3 Mini e o S4 já possuem sistema para a plataforma 4G LTE. Os smartphones têm preços variando entre R$ 1,8 mil a R$ 2,5 mil. O celular top de linha, o S4, é produzido no Polo Industrial de Manaus e na unidade fabril da empresa em São Paulo.

A Samsung também anunciou, com menos estardalhaço, um novo aparelho que suporta o 4G, Galaxy Express. O celular vem com uma câmera traseira de 5 megapixels, um processador dual-core de 1,2 Ghz, 1 GB de memória RAM e 8 GB de espaço interno para armazenamento. O preço médio é de R$ 1,3 mil.

Outro smartphone com suporte ao 4G e valor médio acima de R$ 1,3 mil é o Motorola Rarz HD. O  celular possui acabamento em fibra de kevlar e display gorilla glass (mais resistente a riscos), além de uma tela de 4.7 polegadas, câmera traseira de 8 megapixels, sistema operacional Android 4.0. O fabricante garantiu que a bateria tem durabilidade de até 16 horas, com smartphone em uso.

Aparelhos da Asus (à esquer) e Nokia. Foto: Divulgação

Aparelhos da Asus (à esquerda) e Nokia. Foto: Divulgação

Ainda na faixa de R$ 1,3 mil, a Asus lançou seu aparelho celular com a nova tecnologia. A câmera traseira de 8 megapixels, com Android 4.0 (Ice Cream Sandwich), processador Quad-core e com tela de 4,7 polegadas está aliada ao GPS e à bússola digital.

Os celulares Nokia está entre os maiores que usa um sistema operacional diferente do Android. Com Windows Phone ’8, Processador 1, 5GHZ, câmera 8MP, Tecnologia 4G, wi-fi e GPS, o Lumia tem valor médio de  R$ 1,5 mil.

Licitação

Em junho de 2012, a Anatel realizou licitação para autorizar o uso das faixas de radiofrequências de 450 MHz e de 2,5 GHz para prestação de serviços de telecomunicações de voz e de dados. Apesar de não haver obrigação da tecnologia a ser utilizada para prestar tais serviços, a faixa de 2,5 GHz é usada internacionalmente para prestar serviços com tecnologias conhecidas como de quarta geração (4G).

 

Leia também:
Manaus recebe 1,3 milhão de quilos de aço para cobertura da Arena da Amazônia

Lote para banda larga rural na Amazônia é fechado por R$ 844,5 milhões
Em Manaus, conclusão da Arena da Amazônia é adiada

Na licitação, foram estabelecidas obrigações de atendimento de municípios com a frequência de 2,5 Ghz, conforme o seguinte cronograma:

1) Subsedes da Copa do Mundo até 31 de dezembro de 2013 (cobertura de pelo menos 50% da área urbana do distrito sede de cada município);
2) Capitais e municípios com mais de 500 mil habitantes até 31 de maio de 2014;
3) Municípios com mais de 200 mil habitantes até 31 de dezembro de 2015;
4) Municípios com mais de 100 mil habitantes até 31 de dezembro de 2016;
5) Municípios com mais população entre 30 e 100 mil habitantes até 31 de dezembro de 2017, sendo que os municípios foram divididos entre as prestadoras vencedoras (ou seja, cada município será coberto por apenas uma prestadora, que deverá ceder infraestrutura às demais).

Para atender esses compromissos, deverá ser coberto pelo menos 80% da área urbana do distrito sede de cada município. Os serviços prestados com esta subfaixa possibilitarão comunicações de voz e de dados. Assim, para garantir a cobertura mínima e também a taxa de transmissão adequada, principalmente nas comunicações de dados, é essencial que as prestadoras invistam o montante adequado em suas redes de acesso e também de transmissão.

COMENTÁRIOS