Portal Amazônia » Notícias » Matéria

atualidades

28/02/2012 às 15:47 Redação - jornalismo@portalamazonia.com

Repórter do G1 Amazonas é detido durante cobertura de acidente com avião

O jornalista tentava fotografar os destroços do avião quando um policial o interrompeu.

MANAUS - O Repórter do G1 Amazonas, Carlos Eduardo Matos, foi detido na manhã desta terça-feira (28) por policiais militares , nas proximidades do Aeroclube de Manaus, onde ocorreu a queda de um avião.  O jornalista tentava fotografar os destroços da aeronave quando um policial o interrompeu. Carlos Eduardo foi algemado e conduzido para prestar declarações por desacato.  A ação foi registrada, ao vivo, pelo canal de televisão Amazon Sat. De acordo com o repórter  Valdir Torres, o policial também impediu o profissional de realizar uma ligação para a redação do G1.

Para Carlos Eduardo houve abuso de poder. “A área não estava isolada, como qualquer outro repórter eu estava no local buscando fotos e informações. Os policiais estavam lá para manter a ordem, mas agiram de forma truculenta e abusaram do poder”, declarou.

[ooyala code="c4ZGdtMzrXhySjfxTi5SRha3rWUPi7A1"]

O presidente do Sindicato dos Jornalistas do Amazonas, Wilson Reis, disse ao portalamazonia.com  que a forma de agir da Polícia  revela o despreparo da corporação no Estado. “O repórter estava no exercício da profissão. Nós, jornalistas, temos que passar informações precisas à população. Os agentes públicos ignoram o trabalho da imprensa e abusam do poder. É importante que o governador Omar Aziz faça mais investimentos em seus comandados. Essa não foi uma ação de isolada”, afirmou.

SAIBA MAIS SOBRE A QUEDA DO AVIÃO

Polícia pede desculpas

O repórter do G1 Amazonas permaneceu detido por duas horas e meia. Após ser solto,  foi recebido pelo vice-presidente de jornalismo da Rede Amazônica, Milton Cordeiro.  O secretário de Segurança Pública do Estado, Paulo Roberto Vital acompanhado do coronel Almir David, comandante da Polícia Militar do amazonas visitaram a diretoria da empresa de comunicação. Durante a conversa, os representantes formalizaram um pedido de desculpas pela atitude do policial militar.

VEJA A ÍNTEGRA DA NOTA DE REPÚDIO DO SINDICATO DOS JORNALISTAS DO AMAZONAS

 

                                                                           Nota de Repúdio

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado do Amazonas – SJP/AM repudia, veementemente, a ação violenta dos policiais militares que, sob o comando do 2º Tenente PM ANDERSON PEREIRA ALFON, prenderam o jornalista CARLOS EDUARDO DA SILVA MATOS, repórter do site On Line G1 Amazonas, da Rede Amazônica de Televisão, durante a cobertura da queda de um avião na manhã de ontem, 28, na cidade de Manaus. Algemado, o profissional foi levado ao 10º Distrito Interativo de Polícia (DIP) localizado na estrada dos Franceses, zona Oeste. O ato em si revela o despreparo de policiais militares que, mesmo com a missão institucional de garantir segurança aos cidadãos, abusam da autoridade de polícia e tripudiam sobre direitos individuais e coletivos dos cidadãos assegurados, de forma plena, pela Constituição Federal.

O SJPAM considera o episódio um atentado ao exercício da profissão, na medida em que o profissional de Imprensa encontrava-se em plena atividade de trabalho, e condena qualquer forma de repressão ao direito do jornalista, de exercer o seu papel de levar informação de qualidade à população

O episódio afronta ainda o Código de Ética dos Jornalistas Brasileiros no Capítulo I – Do direito à informação, Art. 2º que diz: “Como o acesso à informação de relevante interesse público é um direito fundamental, os jornalistas não podem admitir que ele seja impedido por nenhum tipo de interesse . . .”.

Toda violência quando perpetrada contra outrem é condenável e ganha dimensões gravíssimas, quando exercida por agentes públicos, no caso, os policiais da Polícia Militar do Amazonas. A prisão do jornalista CARLOS EDUARDO DA SILVA MATOS deve ter a preocupação do Comando Geral da PM e encaminhamento à Corregedoria Militar. É conseqüente, também, que o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Segurança Pública, além de empregar recursos na compra de equipamentos, também deva realizar investimentos na qualificação policial.

Por fim, a direção do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado do Amazonas se solidariza com o jornalista CARLOS EDUARDO DA SILVA MATOS, colocando-se a disposição do profissional para as providências que se fizerem necessárias.

Manaus, 28 de fevereiro de 2012.

SINDICATO DOS JORNALISTAS PROFISSIONAIS DO ESTADO DO AMAZONAS – SJP/AM.

 

 

 

COMENTÁRIOS