Portal Amazônia » Notícias » Matéria

atualidades

20/03/2012 às 16:45 Juçara Menezes - jornalismo@portalamazonia.com

Água não chega ao bairro Alfredo Nascimento e população reclama

Os moradores pagam R$ 80 por mês para os donos de carros-pipa. Águas do Amazonas afirmam que o problema são os furtos.

Bairro Alfredo Nascimento. Foto: Juçara Menezes/Portal Amazônia.

Bairro Alfredo Nascimento. Foto: Juçara Menezes/Portal Amazônia.

MANAUS – Mesmo habitando numa região cercada de água por todos os lados, nem todos os moradores de Manaus recebem o líquido em casa. Apenas oito, das 68 ruas que compõem o bairro Alfredo Nascimento têm água encanada. A população, que não é servida pela rede de abastecimento, tem duas opções: compra água dos carros-pipa ou constrói seu próprio poço artesiano.

O maranhense Antonio Alves Barros, morador no bairro desde o início da ocupação, disse ter visto quando as tubulações da Águas do Amazonas chegaram trazendo água. “Pensei que seria o fim de nossos problemas e que toda a população teria água, mas o tempo passou e nada. Na região onde moro, a água ainda não chegou”, relatou.

O sistema de abastecimento do bairro é composto por três Centros de Produção de Águas Subterrâneas e um Reservatório, mas o serviço não atende à população.

Uma moradora, que preferiu não se identificar, falou sobre os poços artesianos na comunidade. “Eles resolvem os problemas de falta d’água, mas é preciso pagar ou ir até o poço artesiano. De casa até o poço, nem sempre é possível usar carro ou moto. O percurso normalmente é feito a pé, carregando vasilhas nos ombros. A solução é ter um poço em casa, mas nem todos temos dinheiro para construir”, declarou.

O presidente da Associação dos Moradores do Bairro, Hugo Castro, confirma a presença dos carros-pipas na região. “Compramos água de carros-pipa. Ele passa duas vezes por semana, quando vem com uma grande mangueira e enche baldes, camburão e outras vasilhas. Pagamos R$ 80 por mês para isso. É o único jeito de termos água potável”, assinalou.

Moradores contaram ao portalamazonia.com que chegam a usar água da chuva para lavar louça e limpar a casa. O problema é pior na época da seca. Com chuvas escassas, é preciso pagar caro pela água.

Sobre a atuação dos funcionários que trabalham no abastecimento com carros-pipa, alvos de reclamação por parte dos moradores, a empresa Água do Amazonas informou que  há equipes de bombeiros-volante, cuja função é realizar o abastecimento no bairro. Segundo a empresa, eles são controlados por equipes de fiscalização interna da própria concessionária.

Empresa diz que “sistema é falho por conta de furtos e fraudes”

A concessionária Águas do Amazonas informou que as obras de implantação das tubulações e redes de abastecimento de água ocorreram entre os anos de 2003 e 2004, por meio do Programa Água na Sua Casa. O investimento à época foi de mais de R$ 20 milhões. Mais de 44 quilômetros de novas redes de abastecimento de água, para atendimento exclusivo do bairro Alfredo Nascimento foram construídas, contemplando 19 mil habitantes.  Segundo a empresa, todas as obras necessárias para implementação da rede de distribuição de água foram concluídas segundo o cronograma.

Flagrante de furto de água. Foto: Divulgação/Águas do Amazonas.

Flagrante de furto de água. Foto: Divulgação/Águas do Amazonas.

De acordo com a Águas do Amazonas, o problema de abastecimento de água verificado no bairro Alfredo Nascimento não diz respeito aos problemas de infraestrutura. “A falta de abastecimento está  ligada à perda de água tratada em função de fraude e furto. Verifica-se esta mesma questão em boa parte da cidade de Manaus”, diz a nota oficial.

A capacidade de produção da concessionária de água em Manaus é de 200 bilhões de litros por ano, volume que seria suficiente para atender a uma cidade de quase três milhões de pessoas. Em Manaus verifica-se que cerca de 90 mil ligações de água possuam algum tipo de irregularidade (fraude e/ou furto). As práticas, segundo a empresa de abastecimento, geram a perda de quase 57% de toda a água tratada.

Além da fraude e do furto cometidos contra o sistema do bairro Alfredo Nascimento, outro problema alegado para a má distribuição de água diz respeito à energia elétrica falha na região. No bairro, são verificadas constantes oscilações e interrupções de energia. O fato prejudica o bombeamento da água para o local.

A Águas do Amazonas ressalta que todos os clientes do bairro que possuírem dúvidas em relação às cobranças devem procurar a concessionária por meio de seus canais de atendimento.

Canais de atendimento:

SAC: Miranda Leão, número 42, Centro,
PACs: Alvorada, Cidade Nova, Compensa, São José II.
Call Center – 08000 920 195.

Contatos da Águas do Amazonas. Arte: Portal Amazônia

Contatos da Águas do Amazonas. Arte: Portal Amazônia

COMENTÁRIOS